Branding: sua empresa tem um diferencial? – Passarela Mkt

Branding: sua empresa tem um diferencial?

Branding: sua empresa tem um diferencial?

Sua marca se baseia em tecnologia inovadora para se destacar? Pode-se usar inovação tecnológica nos produtos como diferencial, mas não durará por muito tempo. Engenharia reversa e plágio estão cada vez mais comuns, facilmente uma nova tecnologia é copiada e reproduzida e, por muitas vezes, a cópia acaba ficando melhor que a original. Podemos, também, aplicar esse pensamento ao conceito de variedade. Se você lançar um novo sabor de batata frita hoje, amanhã ou depois seu concorrente já terá esse mesmo produto ao lado do seu na gôndola. Isso se torna claro no caso Apple vs Samsung. O iPhone, lançado em 2007, foi uma inovação tecnológica retumbante para a época, mas três anos depois a Samsung lança o Galaxy S, claramente “inspirado” no iPhone. Hoje em dia a Samsung, que na época era pouco conhecida, lidera a venda de smartphones em todo o mundo.

 

Gráfico Apple vs Samsung

 

Tudo bem, então seu diferencial é qualidade do seu produto. Você, dono da empresa, que conhece o processo de produção, que sabe todas as etapas que seu produto precisa passar para resultar na peça excelente que ele é. Mas e seu cliente sabe? Num mundo globalizado, a quantidade de produtos parecidos e com as mesmas características é tão grande que o consumidor não sabe diferenciar, com exatidão, o que é de boa qualidade ou o que é só mais um. Na cabeça do consumidor todos os produtos são só mais um. A Coca tem uma qualidade superior se comparada à Pepsi, por isso a Coca lidera as vendas de refrigerante de cola, certo? Não é bem por aí. Em teste cego, a maioria das pessoas acha a Pepsi mais saborosa. Claramente não é o só o sabor que faz a diferença.

 

Teste cego da pesquisadora Kayla Muth, da Universidade da Califórnia, feita em 2011. Na esquerda, preferências antes do teste (sabendo da marca); na direita, preferências depois do teste (teste cego).

Teste cego da pesquisadora Kayla Muth, da Universidade da Califórnia, feita em 2011. Na esquerda, preferências antes do teste (sabendo da marca); na direita, preferências depois do teste cego.

 

Então seu último alicerce é o preço! Seu preço é o melhor de todos! Mas por quanto tempo? Se o plágio é tão fácil, que garantia você tem de que seu produto não vai ser copiado com materiais mais baratos e vendido por valores mais baixos? Ou então, imagine que você vende um produto de ótima qualidade, tecnologia de ponta, mas que seu concorrente consegue produzir muito mais unidades que sua empresa em um tempo muito menor e com recursos mais baratos; o preço unitário será consideravelmente menor e você perderá a venda.

O que todos esses conceitos têm em comum se colocados lado a lado? Eles são atribuições concretas, materiais, tangíveis. Qualquer empresa que apoia seu diferencial em conceitos materiais sofre do perigo de ser superada em pouco tempo.

É muito comum pensarmos que o diferencial de uma marca está em alguma qualidade de seu produto, mas se deixarmos todos estes valores materiais de lado, o que nos resta? O diferencial está em como se faz, o porquê se faz e a imagem que o público tem da marca. Chamamos isso de qualidade percebida, baseado em valores intangíveis e imateriais.

A construção e a manutenção dessa imagem de marca se chama branding, que a partir deste ano estaremos oferecendo aqui na Passarela. O objetivo desse serviço é construir valor agregado à marca através de posicionamento perante o mercado baseado em estudos de concorrentes; estudos de stakeholders (todos os públicos que a marca terá contato); definição de linguagem de marca, seja ela visual ou verbal e escrita; definição de conceitos e pilares de marca; missão, visão e valores; assim como qualquer outro ponto que seja importante na construção desta imagem.

 

Marcas com bom posicionamento serão sempre lembradas e terão uma grande parte do mindshare do consumidor.

 

Os resultados de se ter um bom posicionamento e um branding bem formulado são essenciais para uma boa gestão e consequente sucesso da marca. A principal delas é a fidelização dos clientes, que, após se identificarem com os conceitos e com o jeito de pensar da marca, adotam a marca para si pois se sentem representados por esses conceitos e se tornam clientes fiéis. Após essa fidelização, pode-se aumentar os preços dos produtos, pois o cliente já vai estar comprando a marca e não somente o produto. Os pontos positivos não se aplicam apenas da porta pra fora, o branding tem posição essencial na questão interna de uma empresa. Fora as vantagens de vendas, quando se tem conceitos bem definidos as tomadas de decisões e as campanhas de publicidade (e qualquer coisa que se produza que envolva a marca) ficam muito mais fáceis de serem decididas, pois já se começam os trabalhos com uma base conceitual, reduzindo tempo de produção. Além disso, outras empresas que têm conceitos compatíveis são mais fáceis de fechar parcerias comerciais, trazendo lucro e fortalecendo a marca cada vez mais.

Já construímos algumas marcas assim no nosso portfólio. A marca Life Fitwear, que produz roupas de academia para o dia a dia, foi totalmente construída para representar a vida leve e o lifestyle saudável. A comunicação foi desenvolvida para remeter à vida de veraneio, a animação de um ambiente propício á prática do bem-estar. Todos os pontos de contatos foram cuidadosamente construídos através destes conceitos, desde etiquetas até redes sociais.

 

A identidade visual, feita a mão, foi desenvolvida para trazer um viés humano, orgânico e vivo. As cores, remetendo o verão e os sentimentos da estação, fazem o lettering ficar ainda mais destacado com vividez e energia.

 

Outro exemplo, agora de redesign de marca, é o da Speck Engenharia. A empresa, que é focada em desenvolvimento de projetos que não agridem o meio ambiente, usou por anos o mesmo tipo de comunicação e resolveram renovar sua marca. O trabalho foi inserido de maneira gradual, considerando que a Speck já atuava no mercado há um bom tempo e já tinha sua fatia de mercado, sempre tomando o cuidado para não causar estranheza aos clientes fiéis.

 

Comparação da identidade visual antiga (esquerda) e a nova, desenvolvida pela Passarela (direita).

 

A renovação da marca se deu através da contemporaneidade e da comunicação amigável, mas ainda assim com um pé na tradição.

 

Agende uma visita e venha fazer sua marca deixar de ser apenas mais uma.

assinatura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *